- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Até breve

José Fernandes Castro / Jaime Santos *fado jaime*
Repertório de Gina Santos

Em cada beijo trocado / Nasceu um fado, feito verdade
Em cada gesto d'amor / Nasce uma flor, feita saudade
Em cada sonho ao luar / Nasce o amar, dum céu aberto
Na força de cada beijo / Nasce o desejo, pró qual desperto

Num abraço feito fome / Surge o teu nome, gritado ao vento
E em rajadas de medo / Morre o segredo, no pensamento
No partir da primavera / Surge a espera do sol, nos céus
E o coração sente pena / Da mão que acena, um breve adeus

No nascer da poesia / Nasce a alegria, que nos invade
No florir dum sonho a dois / Surge depois, a felicidade
O sol volta mais contente / E finalmente, um fado diz
Que ter voz no coração / É uma razão, p'ra ser feliz