- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O fado que a gente sente

Letra e musica de Maurício do Vale
Repertório de António Passão

Quando a guitarra se faz ouvir
Quer numa tasca, num palácio, em qualquer lado
Hé sempre alguém que há-de pedir
Senhores ... silêncio... que se vai cantar o fado

Seja um doutor ou um amador
Há sempre um tom que até convém aprender
Talvez em Sol se Deus quiser
Vai ser um fado a ser cantado a valer

Ai quando a gente canta e sente o nosso fado
Já não importa se ele é bem ou mal cantado
O que é preciso é sentirmos, ao cantar
Na nossa alma uma guitarra a trinar

Quando se canta, quando se diz
O que um poeta certo dia nos deixou
Às vezes triste, ou então feliz
A gente sente que é verdade o que cantou

De olhos fechados por mil pecados
Não há por bem quam ao fado lhe resista
E tu também, deixa que insista
Anda cantar e vem provar que és fadista