- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Disseste-me

Isabel Noronha / António Chainho
Intérprete: Isabel Noronha

Foi nessa madrugada até ser dia
Na mesa um chá quente e o licor
Os dois ali sentados na varanda
Olhando a lua devagar;
Do silêncio, tu disseste
Coisas da vida que nos fazem viver

Repara na beleza e na cor
Que cada noite dá a todos nós
No entanto, a correria dos minutos de cada dia
Faz perder o sentido da magia
Das coisas simples que nos fazem viver

Viver a luz do Sol que agora chega
Tornar os nossos sonhos realidade
Abraçar a saudade
Sentir dor e alegria
Sentir a paz e o valor da nossa idade
Ter pureza de criança no olhar
Subir a uma árvore e provar
O fruto que ela dá sem resistir
Pisar as folhas secas numa tarde outonal
Saber de onde vimos
E p'ra onde queremos ir
Coisas da vida que nos fazem viver!

Foi nessa madrugada até ser dia
Os dois ali sentados na varanda
Olhando a lua devagar
Do silêncio, tu disseste
Coisas da vida que nos fazem viver