- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Amor zagal

Henrique Rego / Alfredo Duarte *fado cravo*
Repertório de Alfredo Marceneiro

Não queiras ir pra cidade
Despreza o teu pensamento
Deixa-te estar que estás bem
Não tens amor à herdade
Onde foi teu nascimento
Onde morreu tua mãe

Ouve o que eu te vou dizer
Escuta meus ais, Margarida / Não me faças mais sofrer
Fica comigo, querida
Enleada nos meus braços / Para sempre, até morrer

Tenta dar um passo errado
Olvidando as companheiras / Deste torrão adorado
E as carícias tão fagueiras
Do  que te quero oferecer / Um coração dedicado

Por mim serás adorada
Um grande acolhimento / Com uma condição, porém
Celebrarmos o casamento
Onde foi teu nascimento / Onde morreu tua mãe