-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores dos temas aqui apresentados.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
* 7.350' LETRAS <> 3.180.000 VISITAS * ABRIL 2024 *

. . .

Na Ribeira

Daniel Gouveia / Popular *fado corrido*
Repertório de Daniel Gouveia

Já noite alta, na Ribeira
Adormecida ao luar
Uma guitarra fagueira
Sozinha, pôs-se a trinar

Deram quatro badaladas 
Ninguém se via no cais
Um gato, como os demais 
Em cautelosas passadas
Entre as canastras tombadas 
Furtivamente se esgueira
Em remadas de canseira 
Uma canoa varou
Nela o pescador ficou
Já noite alta, na Ribeira

Pouco a pouco, um borborinho 
Uma algazarra crescente
Fez crer que havia mais gente 
Àquela hora a caminho
Era um grupo comezinho 
De gente moça a folgar
Com guitarras a tocar 
Que à canoa se encostou
Nem no velho reparou
Adormecido ao luar

Levantou-se o pescador 
E disse: deixem-se estar
Só é pena eu não tocar 
Como toquei, a rigor
Mas deixem ver, por favor 
Se esta mão, já mal certeira
Por pescar a vida inteira 
Ainda assim me consente
Dedilhar, saudosamente
Uma guitarra fagueira

Nada se ouviu, não mexeram 
Aqueles dedos curtidos
Dos olhos, humedecidos 
P'lo que as saudades trouxeram
Duas lágrimas correram 
P’ra na guitarra tombar
E, qual história de encantar 
Ante a turba embevecida
A guitarra, de sentida
Sozinha, pôs-se a trinar