- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

BARRA DE PESQUISA

Lisboa menina e moça

Ary dos Santos, Joaquim Pessoa / Paulo de Carvalho e Fernando Tordo
Repertório de Carlos do Carmo 

No Castelo ponho um cotovelo
Em Alfama descanso o olhar
E assim desfaço o novelo 

De azul e mar

À Ribeira encosto a cabeça
Almofada da cama do Tejo
Com lençóis bordados á pressa 

Na cambraia dum beijo

Lisboa menina e moça... m
enina
Da luz que os meus olhos vêem... t
ão pura
Teus seios são as colinas... v
arina
Pregão que me traz à porta... t
ernura
Cidade a ponto-luz... b
ordada
Toalha à beira-mar... e
stendida
Lisboa menina e moça... a
mada
Cidade mulher da minha vida 


No Terreiro eu passo por ti
Mas na Graça eu vejo-te nua
Quando um pombo te olha, sorri

És mulher da rua

E no bairro mais alto do sonho
Ponho um fado que soube inventar
Aguardente de vida e medronho

Que me faz cantar

Lisboa no meu amor.. deitada
Cidade por minhas mãos... d
espida
Lisboa menina e moça... a
mada
Cidade mulher da minha vida