- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.500 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Às vezes

João Monge / Ricardo Parreira *fado tio*
Repertório de Hélder Moutinho 

Às vezes não me dou, não é por mal
Às vezes até me custa falar
São restos do temor inicial
Do dia em que aprendemos a andar

Às vezes viro a cara para o chão
E sigo a minha sombra até ao fim
Como se fosse a voz do coração
Para não me afastar muito de mim

Às vezes o mundo fica vazio
Como a casa onde tu moraste um dia
E o meu corpo é morada de um fastio
Que me sustenta mas não alumia

Às vezes tu pareces entender
E esperas que a madrugada se levante
Prometes que hás-de voltar a nascer
E eu volto a ser quem fui por um instante