- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Cais da memória

Eduardo Olímpio / Arlindo de Carvalho
Intérprete: Linda Rodrigues


Aqui junto do cais onde te espero
Sou barco na memória da saudade
Do teu ar, dos teus segredos
A fome dos teus dedos
Poeta abandonada na cidade

Eu sou ainda a mesma rosa brava
Tu és o raio de sol que acende o dia
De nada mais preciso
Se não do teu sorriso
Aberto em gargalhadas de alegria

No leito do rio / Nos braços do mar / Liberta de medos
Serei em teus dedos / Guitarra a vibrar
Meu sonho cativo / Por ti libertado / Sem rumos nem rotas

Irmão das gaivotas / Será nosso fado

Assim como se nasce ou se respira
Farei da tua voz minha aventura
De luas e de estrelas
De noites com janelas
Abertas de silêncio e de ternura.

Depois não há partida nem chegada
Vogamos sobre um mar de calmaria
Sentindo a tua boca
Poisada em minha boca
Enquanto no meu corpo se faz dia