- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado xuxu

Amadeu do Vale / Frederico Valério
Repertório de Amália

O fado, canção bizarra / Pôs a samarra todo trecheiro
E lá foi com a guitarra / Até ao Rio de Janeiro

Fez-se um fadista atrevido / Tão destemido e de tal marca
Que até já é conhedico / P'lo fadistão da Fuzarca

Com sambinhas e modinhas, Abacate
Vitamate, Guaraná, Maracujá e Caruru
Com cocada, batucada para ti, Abacaxi, Goiabada
O fado é bom p'ra xuxu

Portuguesinho de raça / Bebe cachaça, come pipoca
E no catete até passa / Por cidadão carioca

Às vezes vai à favela / Calça chinela, todo se bamba
E o fado canção singela / Agora é todo do samba