- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Bola prá frente

Letra e música de Jorge Fernando
Repertório do autor 

Bola prá frente
Há tanta gente que joga ao contrário
Leva a vida a falhar
Que a lei vigente
É para a gente que manda no jogo
E há-de sempre mandar

Caio na selva redonda, esférica
Gira em seu eixo
O jogo é feio e bola na relva
Que a Selva tende a ser fatal;
Num manifesto, leio o zodíaco
Estamos em peixes
Chuto na bola, pois sou ambidestro
E o protesto, se falho, é geral

Lestos e prontos
Afundam fundo nos bolsos da gente
Sempre ao ataque, pois que nos descontos
Há pontos para disputar
Caio na selva
Não vejo fuga nem saio do banco
Não vou ao jogo e bola na relva
Que a selva não sabe arbitrar