- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

A trova do amor amigo

Vasco de Lima Couto / António Chainho
Repertório de Vasco Rafael

Deitados na montanha, nós despimos a lei
Ficando como a brisa a correr a manhã
Cada braço era um tronco envolvido p'la era
A crescer no amor da nossa primavera

O que foi que dissemos no amor entregado
Vias o céu alto e eu via o chão fechado
Semeados p'lo sonho, fomos os dois buscar
O barulho do vento e uma onda do mar

A tarde refrescou-me o desejo de estar
E a vida veio lenta, nossos olhos fechar
Uma canção foi longe buscar a àgua pura
P'ra inventar o amor nos ramos da aventura

Um pássaro desceu, espreitou-nos o sono
E foi contar às ondas o feliz abandono
Quando a noite chegou à solidäo parada
Encontrou a alegria numa folha esmagada