- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Corações loucos

Letra e musica de Frederico de Brito
Repertório de Fernanda Maria

Deixa, larga-me de mão
Ninguém te mandou cá vir
Loucuras de coração
Dão-me vontade de rir

Não sejas impertinente, já disse
Não posso escutar-te agora, não posso
Era uma tolice, como se eu não visse
Que o mal è só nosso

Tem calma... o
lha os dias que lá vão
E não confundas a alma com o doido coração
Isto p'ra min não tem graça, mas passa
Também não faças alarde , que è tarde
O caso è p'ra meditar
Pois queres que eu faça c
astelos no ar

Deixa, larga-me depressa
Que o tempo passa a correr
E quando a vida começa
È bom sabermos viver

Não quero arrependimentos,  não quero
Também p'ra ser teu joguete não presto
Já muito eu tolero, de mais nada espero
Depois vê- se o resto