- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Tributo a António Pelarigo

Autor: Carlos Fragata
---
Pus o meu chapéu, vesti a samarra
E fui por Lisboa procurando o Fado
E num beco ouvi c
horo de guitarra
E uma voz rouca num tom magoado

Entrei e lá estavam com seu ar garboso
Um grande fadista e o fado antigo
Encostei-me ao canto, mudo e respeitoso
Porque quem cantava era o Pelarigo


Que momento aquele e que sorte a minha
Com tanto retiro que há no luso império
Calhou-me escolher um bairro alfacinha
Onde foi cantar um fadista a sério!