- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado ao Deus-dará

Tiago Torres da Silva / Fontes Rocha *fado isabel*
Repertório de Joana Amendoeira

Encontrei uma saudade
A pedir esmola na rua
Perguntei-lhe: tens que idade ?
Ela disse: tenho a tua !

Quando a mão esquerda crescia / À caridade de alguém
Se algum dos olhos sorria / O outro dizia ámen

Erguia ao céu os dois braços / Pedindo uma esmola a Deus
E apressava os seus passos / Para chegar depressa aos meus

Mas deixou-me ao Deus-dará / Como um velho que descobre
Naquela esmola que dá / Uma razão para ser pobre

Eu percorri a cidade / Na ânsia de me ir embora
Que quem dá esmola à saudade / Nunca mais sabe onde mora

Vivo agora pelas ruas / Mais secretas, mais sozinhas 
A pedir saudades tuas /A quem tem saudades minhas