- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Meu amor, minha saudade

Nuno Gomes dos Santos / Nuno Nazareth Fernandes
Repertório de Luísa Basto

Houve um tempo de colher as amoras e de ver
Teus gestos, desfolhando um malmequer
No muito pouco ou nada da canção
No momento faltava muito para entardecer
E a vida nunca havia de doer
No peito onde sorria o coração

Vai-se a ver, o tempo começou a envelhecer
As horas começaram a doer
Bateu à minha porta a solidão
E uma lágrima esquecida
Muitas vezes repetida
Foi poisar entristecida no refrão

Houve um mar perfeito para um navegador
Mil lágrimas felizes por amor
Na proa de um navio rumo ao luar
Um lugar azul celeste e branco de marfim
Ou de todas as cores do jardim
Onde a vida ia namorar

Mas depois, o tempo começou a escurecer
As marés começaram a doer
E os dias começaram a acabar
E uma lágrima esquecida
Muitas vezes repetida
Foi poisar entristecida no refrão