- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.585 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Fado boémio

Frederico de Brito / Renato Varela *fado varela*
Repertório de Maria Teresa de Noronha

Não sei que mal fiz eu ao triste fado
Ao fado que eu julguei um doido apenas
Que tantas alegrias me tem dado
E agora dá-me lágrimas e penas

Andamos muito os dois, por ser costume
Falamos de ilusões e desenganos
Se me falou de amor ou de ciume
Foi por me conhecer há longos anos

O fado, esse boémio, vive agora
Na triste cantilena do seu pranto
Coitado, apenas canta quando chora
E eu choro algumas vezes, quando canto