- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Camponês de cantigas

Mário Raínho / Popular *fado menor*
Repertório de Rodrigo

Sou camponês de cantigas
Neste campo de ervas bravas
Pesam-me tanto as fadigas
E a semente das palavras;
Sou camponês de cantigas
Escravo das minhas palavras

É ao sol do meio-dia / Quando o calor é maior
Que rasgo o chão da poesia / P’ra semear o amor
Esse amor que ainda um dia
Há-de acontecer em flor

Vou ao arado da esperança / Com esta fé renovada
Esta fé que se não cansa / Em cada nova alvorada
Levo sonhos de criança
Semeio sonhos, mais nada

O que é preciso é coragem / De estar vivo e de cantar
Desbravar toda a paisagem / Para o amor ter lugar
Sou camponês em romagem
Neste campo singular

Sou camponês do amor / Neste chão onde caminhas
D’onde arranquei com suor / Cardos e ervas daninhas
Foi Deus quem assim me fez
Simplesmente camponês