- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Essência do fado

Silvestre José / Armando Augusto Freire *fado estoril*
Repertório de Edna

O fado que há em mim, percorre as minhas veias
Aquilo que sinto em mim, no tempo de o cantar
É um vinho generoso, servido em taças cheias
De aroma invulgar e que nem sei explicar

Eu gosto de sentir, nas margens do meu canto
Do fado a sua essência, também seu romantismo
Dessa canção eterna, que faz o meu encanto
Bebo alguma tristeza, também o seu lirismo

Bebo cada palavra, das linhas dum poema
Assim posso matar, minha sede gritante
Se sinto o poema em mim, a ligação é suprema
E o meu canto sentido, é momento exultante

Meus sentidos despertos, se deixam embalar
Nos versos descobertos, que canto com rigor
Percorro este caminho, onde me quero encontrar
Com o peso da saudade, também com o do amor