- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fado da dúvida

Fernando Pinto do Amaral / Ricardo Cruz
Repertório de Marco Rodrigues

Não sei porque te falo, se esta noite
Já nem a solidão é minha amiga
Se já não há palavra que se afoite
Se já nem sei sequer o que te diga

Talvez o que procuro já não seja
O amor tão cantado p'los poetas
E num resto de lua que te beija
Mal consigo saber porque me inquietas

Não sei onde ficou isso a que dantes
Gostava de chamar o ocoração
E parecem-me agora tão distantes
Os ecos dessa estranha pulsação

Procuro essas verdades mentirosas
Na música dum fado que escoa
Mas por entre mil versos e mil prosas
Há sempre uma qualquer que me atraiçoa

Não sei porque te falo se afinal
Duvido de quem sou, quem somos nós
O mal é já um bem, o bem um mal
E as lágrimas secaram-me na voz