- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Fado da freira

Armando Neves / Miguel Ramos *fado freira = fado oliveira*
Repertório de Joaquim Pimentel

Na cela do seu convento
Rodeada de roseiras
Onde entrara nova ainda;
Sem um ai, sem um lamento
Entre tantas lindas freiras
Morrera a freira mais linda

Era tida como santa
A sua graça era tanta / E simples o seu sentir
Que no seu cárcere deitada
A freira santificada / Levava a vida a sorrir


A todas dizia ela
Que nunca amara na vida / Homem algum, pelo visto
Sózinha na sua cela
Em orações recolhida / Apenas amara Cristo

Logo que a freira morreu
E a Abadessa apareceu / Para em tais termos dizer
Ponham-lhe nas mãos, em cruz
A medalha de Jesus / Que ela beijou ao morrer

Mas quando uma freira absorta
Acercando-se da morta / Nessa medalha pegou
Pôs-se a gritar: Deus nos valha
Não é de Cristo a medalha
/ Mas do homem que ela amou

A estrofe assinalada a verde não faz parte da gravação do Joaquim Pimentel