- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Cravo de São João

Anibal Nazaré / Martinho d’Assunção
Repertório de José Manuel Barreto

-
Esta letra apresenta duas versões bastante diferentes.
Esta é a versão actualmente mais ouvida.
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia 
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
-
Quando a vi, ela trazia / Bem juntinho ao coração
Como um grito de alegria / Um Cravo de São João
Passou por mim apressada / Da primeira vez que a vi
Achei a moça engraçada / E nunca mais a esqueci

Vinha bonita
Com seu vestido de chita
Tinha uma graça infinita
Tinha um ar bem português
O meu olhar 
Pousou nela como um beijo
E fiquei com o desejo 
De a encontrar outra vez

Fez-me o destino a vontade / Novamente a encontrei
Mas p´ra dizer a verdade / Que diferente que eu a achei
Elegante no trajar / De luxo e ostentação
E uma Orquídea no lugar / Do cravo de São João

Vinha elegante 
Num vestido extravagnate
E tinha um ar petulante 
Que cheirava a perdição
Naquela Orquídea 
Sua vida se resume
Porque perdeu o perfume 
Do Cravo de São João

Apresentarei oportunamente a segunda versão com original registado na S.E.C.T.P