- - - - -

- - - - -
<> Clique na imagem e oiça Fado <>
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.650 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Versos de lamento

Ciça Marinho / Daniel Gouveia *fado daniel*
Repertório de Ciça Marinho 

Silêncio canta-se o fado
Em tom plangente e marcado
Na boca de uma fadista
Que com voz rouca e vontade
Desprovida de vaidade
Canta as agruras da vida

E ao trinar de uma guitarra
Solta a voz com tanta garra / Que até a oiço chorar
Por que o fado que é chorado
Despe o coração magoado / De uma fadista a cantar

Por isso lhe dou abrigo
Para partilhar consigo / Tanta dor e sofrimento
Que sinto toda a amargura
Das marcas da desventura / Destes versos de lamento

Silêncio canta-se o fado
De um destino malfadado / Solta na voz o rancor
De um coração machucado
Por ser traido, enganado / 
Diz que não quer outro amor