- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Fases da lua

João Monge / Pedro Silva Martins / Luís José Martins
Repertório de Hélder Moutinho 

O meu coração tem sonhos / Mas não vai por onde quer
O meu coração tem braços / Tem dois braços de mulher

Pega a flor que há no caminho / Dá colo a quem precisar
Tem um berço de menino / Mas não tem quem embalar

O meu coração tem medo / Tem coisas próprias de mãe
Se um filho não chega cedo / Bate por ele também

Me fiz homem com dois lados / Faço a barba e já chorei
Sou destino de dois fados / Que colhi de pai e mãe

Tenho as fases da Lua
No cartão de identidade
E moro na rua
Chamada humanidade

Tenho num canto qualquer / Do meu coração um quarto
Com sonhos para quem vier / Já parti sem ter um parto

E quanto mais homem sou / De maneiras e aspecto
Mais inteiro a ti me dou / E de mulher eu me completo