- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - - - -
As 5.440 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os
- - - - -
Ninguém sabe tudo, ninguém ignora tudo, só todos juntos sabemos alguma coisa <> PAULO FREIRE *filósofo*
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Amália sempre e agora

Amélia Muge / Mário Pacheco
Repertório de Mísia

Voz ancestral de bacante / De grega sacerdotisa
De pitonisa, de musa
Dos cantos à deusa Íris / E das rezas a Maria
Do lamento à luz do dia / De sereia em nevoeiro
Uivo na estepe que chora / Amália sempre e agora

Voz de jasmim de Djerba / De passarinho na noite
Da savana africana / De raga em Katamandu
De índia velha no Perú
Dos ventos da Anatólia / Das fontes dos Pirinéus
Que o próprio canto namora / Amália sempre e agora

Voz de Afrodite brilhando / Qual estrela da manhã
Velando na madrugada
Voz de uma moira encantada / De uma rosa no deserto
De um trovão em céu aberto / Que vem de fora p’ra dentro
Que sai de dentro p’ra fora / Amália sempre e agora

Voz daqui, de todo o lado / Levando a casa do fado
Aos quatro cantos do mundo
Como se a vida encontrasse / Nesse canto tão profundo
O póprio início de tudo / Que vem de fora p’ra dentro
Que sai de dentro p’ra fora / Amália sempre e agora