- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Deste meu quarto vazio

Manuel Paião / Eduardo Damas
Repertório de Fernanda Maria 

Meu amor volta depressa
Estou sozinha à tua espera
Não me deixes estar só
A solidão desespera

Não estejas mais tempo fora / Tudo sem ti é mais frio
Vem amor, vem aquecer / Este meu quarto vazio

Este meu quarto vazio / Espera por ti, noite inteira
Todo ele parece olhar / 
Teu retrato à cabeceira

Estas paredes caiadas / Esperam por ti toda a hora
E os lençóis da nossa cama / Já sabem como se chora

Meu amor, volta depressa / A vida assim não tem jeito
E o bater do relógio / Bate dentro do meu peito

Os minutos já são horas / Que eu conto, dias a fio
E o tempo não quer andar / 
Parece parar neste quarto vazio