- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cada um tem o seu fado

Domingos Gonçalves da Costa / Manuel Fernandes
Repertório de Manuel Fernandes

Amor, ondes estás, aonde moras
O que fizeste das horas
Tão felizes, que vivi
Esperei e desesperei à espera
Embalado na quimera
De viver só para ti

Agora que só em sonhos te vejo
Sinto assaltar-me o desejo
De te cingir nos meus braços
E embora te procure a cada instante
Cada vez estás mais distante
Do caminho dos meus passos

Não sei onde páras, aonde moras
Se ès feliz, se ris ou choras
Se te esqueceste de mim
Portanto, vou cantando esta canção
Esperando, talvez em vão
Que
o meu sonho chegue ao fim

O tempo que tudo faz e destrói
Pôs nesta dor que dói
A luz que me tem guiado
Que importa que alguém ria desta dor
Se na vida ou no amor
Cada um tem o seu fado