- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Bairro amado

Letra e música de Frederico de Brito
Repertório de Fernanda Maria

Gemem guitarras
Notas bizarras dum fado triste
Choro e queixume
Dor e ciume que ainda existe
Tristes baladas
Canções magoadas e olhos em brasa
Isso
que importa
Se estão à porta da minha casa

È este o meu bairro amado
Que os outros são muito iguais
Ai do meu tempo passado
Que foi e não volta mais
A minha rua è tão linda
Como outra igual nunca vi
Basta que lá esteja ainda
A casinha onde eu nasci


Bairro tristonho
Que foste um sonho da fadistagem
De aventureiros
E cavaleiros de alta linhagem
Bairro tranquilo
Tu ès aquilo que eu mais adoro
Minh'alma è tua
Bairro da rua aonde eu moro