- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Aquele amor que vivi

Silveste José / Acácio Gomes *fado acácio*
Repertório de Maria do Rosário 

Aquele amor que vivi
Precocemente o perdi
Deixou-me pra sempre à espera
Foi uma bênção celeste
Neste mundo tão agreste
Tão bom como a primavera

Aquele amor que partiu
Nunca mais ninguém o viu / Destino, não mo recordes
Se este mundo amargurado
Sob a tristeza è cantado / Ainda escuto seus acordes

Aquele amor que è saudade
Vivido com intensidade / Não durou mais que uma hora
Tanto que havia a fazer
Tanto a dar e a receber / Deixou-me só, foi-se embora

Aquele amor que mais quero
Tanto que ainda o espero / Nos momentos de amargura
Dos beijos deixou-me o gosto
Na minha boca, no rosto / Deixou marcas de ternura

Aquele amor verdadeiro
Foi último mas foi primeiro / Ainda paira no meu leito
Dorme comigo a meu lado
Está comigo em cada fado / Que canto e que sai do peito