- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Pela fome do teu nome

Mário Raínho / Carlos da Maia *fado perseguição*
Repertório de Jorge Nunes

Andei em busca dum fado
Como se fosse pecado
Pelas noites que me dei
De tantos fados que ouvi
Nenhum falava de ti
Sendo assim não os cantei

Como dizem que os poetas
Têm gavetas secretas / Todas elas rebusquei
Como se tivesse fome
Li poemas sem teu nome / Sendo assim não os cantei

Pensei ler no céu, que estranho
O teu nome num desenho / Nas estrelas que contei
Mas a noite escureceu
Os versos que vi no céu / Sendo assim não os cantei

Cansado, perdi a calma
Mas olhei p’ra minha alma / E finalmente encontrei
A fé e ferro gravado
Teu nome em letra de fado / Sendo assim, já te cantei