- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.590 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

A Rosa da Mouraria

Frederico de Brito / Martinho d'Assunção
Repertório de Carlos Ramos

Constou pela Mouraria
Que a Rosa ao saír de casa / Ia quase como louca
E a mostrar como sofria
Tinha os olhos numa brasa / E espuma ao canto da boca

Há quem diga que o rapaz
Ainda lhe pediu à porta / Que pensasse o que fazia
Ela nem olhou p'ra trás
Parecia que estava morta / Por saír da Mouraria

Altas horas... lá dentro uma luz enorme
Mostra bem que ele nem dorme
Que nem descansar consegue
Até a porta que dantes estava trancada
Fica apenas encostada
À espera que a Rosa chegue

Os que ali passam, reparam
Na falta que a Rosa faz / Vendo os vasos na parede
As sardinheiras secaram
E até um cravo lilás / Caíu, mortinho de sede

Mas naquele triste dia
Em que ocorreu esta cena / Contaram tudo em voz alta
E agora na Mouraria
Fala-se à boca pequena / Que a Rosa faz muita falta