- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.580 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

Cidade mulher-poema

Mário Raínho / José Manuel Castro
Repertório de José Manuel Castro

Cidade inventada
Espelho onde me vejo
Gaivota mimada a brincar no tejo
Musa dum pintor 

Olhar de avelã
Meu perfeito amor, estrela da manhã
Menina cidade

Presente e passado
És cais de saudade e berço de fado
Varina Maria

Mulher marinheira
Que bebes maresia no cais da Ribeira


Adeus cidade, v
ou viajar num poema
Levo saudade para servir-me de tema
Embarco assim para te trazer o mundo
Espera por mim, que regresso num segundo

Parto num verso, espera por mim um momento
Que no regresso monto cavalos de vento
Vê a verdade, não fiz promessas à toa 

Adeus cidade, olá Lisboa