- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Cuidado louca gaivota

Carlos Baleia / Daniel Gouveia *fado daniel*
Repertório de Rodrigo Costa Félix

Quando a gaivota esvoaça
E chega a voar à Graça
Meus olhos seguem os teus
Mas eles, à desfilada
Correm louca cavalgada
Sem nunca verem os meus

Voam tanto, tanto, tanto
Os olhos do meu encanto / Teu negro olhar feiticeiro
E ao poisar na Madragoa
Contam a qualquer pessoa / Que deles sou prisioneiro

Sobem mais do que a gaivota
Riem da minha derrota / Da tola perseguição
E ficam penas aos molhos
A marcar nestes meus olhos / Esta insensata paixão

Vejo os teus olhos voar
Tenho ciumes do ar / Que te abraça quando quer
Mas meu amor.. tem cuidado
Pois na cidade do fado / Há mais do que uma mulher