- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Desculpa mas é assim

Letra e musica de João Nobre
Repertório de Maria da Fé

Zangaste-te ‘inda à bocado / Por aquilo que te disse
Às vezes ficar zangado / Não passa de uma tolice
Lá por ser franco, não vejo / Que te voltes contra mim
A gente no Ribatejo / Desculpa, mas é assim


No Ribatejo
Há lealdade e bravura
Sinceridade e há loucura

Querer mudar os que lá estão
No Ribatejo, h
omem feliz e honrado
Tudo o que diz é sagrado

Pois mantém a tradição
No Ribatejo n
ão há desdém pela rudeza
Nela também há franqueza 

E o que é falso é ruim
Quem for diferente cá da gente eu não invejo
A gente no Ribatejo

Desculpa, mas é assim

Eu sei que somos antigos / Nem talvez se use, até
Ser amigo dos amigos / Nestes tempos do yéyé
Mas também sei, de sobejo / Que nos dão razão, por fim
A gente no Ribatejo / Desculpa, mas é assim