- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.315 LETRAS <> 2.220.000 VISITAS <> JULHO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As mulheres

José Castro Carvalho / Alvaro Martins
Repertório de Zé Carvalho

Ai as mulheres... 
Deus me livre, Deus me livre
Ai as mulheres... 
Desse ser que um dia fez
Ai as mulheres... 
Há mulheres de tal calibre
Ai as mulheres... 
Em vez duma quero três

Ai pobres dos mal casados / Que casaram por promessas
Andam na vida trocados / Andam na vida às avessas

Quando é a mulher quem manda / Dá-nos até a impressão
Que a vida pára, não anda / Se cá vou é quem comanda
P’ra que serve o capitão

Quem desdenha quer comprar / Toda a vida ouvi dizer
E a gente só quer amar / A que mais nos faz sofrer

O homem tudo consente / Quando vai em tal feitiço
A mulher é uma serpente / Que se enrosca bem na gente
E o que a gente quer é isso