- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

A Mariquinhas vai à fonte

Maria Manuel Cid / Popular
Repertório de Kátia Guerreiro

A Mariquinhas vai à fonte e não demora
Que a Lua conta seus segredos ao luar
Leva na anca sua bilha cor de amora
E duas tranças de cabelo a saltitar

Amor é fogo, amor é lume
Raiva, ciúme
Desengana o coração
Amor é vento que chega ao cume
E tem o perfume
Dum cravo de São João

Será que a sombra do ciúme transtornada
A Mariquinhas com seu manto despenteia
Pra ver a moça recolher envergonhada
Sempre que a Lua vem beijar a sua meia

Dizem as bocas lá da terra e têm fama
Que a Mariquinhas vai à fonte e não demora
E vem o Sol descansar na sua cama
Adormecendo quase sempre à mesma hora