- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Louvor a Santarém

Eusébio Duarte Jorge / Carlos Teodoro Carvalho
Repertório de Mário Cruz

Oh! Santarém, Santarém / Que moras lá bem no alto
As portas do sol mantêm / A magia da história
Que o primeiro rei, de assalto / Conquistou mouros e glória

Tem Santarém, como brasão
Bravos campinos, fé, tradição
Cavalos, toiros, campos em flor
É epopeia de luz e de cor

Santarém, jardim florido / Á beira do Tejo, plantado
Paraíso do amor / De Calipso e Ulisses
É berço real de Abídis / Seu principe e fundador

Cidade ilustre e cantada / Por poetas e artistas
Na Feira do Ribatejo / Tens mais encanto e beleza
Vestes em tons de nobreza / O manto azul do Tejo