- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

A ilha

José Fanha / Luís Pedro Fonseca
Repertório de Cristina Nóbrega

Estou perdida meu amor, na noite escura
Ofendida pelas luzes da cidade
Incapaz de cavalgar essa lonjura
Que separa o meu olhar, da tempestade

Estou á tona do silêncio numa ilha
Rodeada a toda a volta de universo
O rebelde coração é uma rodilha
Preso á vida, por um beijo ou por um verso

Estou de pé, dentro de mim a tropeçar
Neste rosto com que visto a minha cara
Sem um sopro que pudesse desviar
Tantas balas que o passado me despara

Estou aqui á beira mundo, a transpirar
As ideias que me dizem naufragadas
Como um barco que só sabe caminhar
Entre rotas nunca dantes navegadas