- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Coração embriagado

Valente Rocha / João Alberto
Repertório de Artur Batalha

Entrei num bar com desejos de beber
Somente para esquecer
O que não quero lembrar;
Bebo por perder a esperança

Da sorte que o mundo me nega
Com a sede da vingança
Só a bebida me sossega

Um homem embriagado
É aos olhos de quem passa
Um corpo abandonado
Vivendo a sua desgraça;
Mas essa alma vencida
Entregue ao vicio à loucura
Encontra num bebida
Tudo aquilo que procura

Eu procurei ser feliz, não consegui
Tudo o que tinha perdi
Do que foi meu já não sei;
Ao lembrar o que já tive

Desde que me fui esquecendo
A gente pensa que vive
E afinal vai morrendo