- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ FEVEREIRO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

BARRA DE PESQUISA

Pensando em ti

Fernando Ribeiro / Jorge Fontes
Repertório de António Mourão 

Acordei mas não te vi / Nem sequer o teu retrato
À cabeceira sorri / Na solidão do meu quarto 

Acordei como quem chama / Por alguém que se deitou
No calor da minha cama / E de noite me deixou 

Pensando em ti
Adormeci, mas acordei
Reconheci que te perdi e então chorei
Mesmo a dormir

Julguei sentir o teu calor
E o teu carinho no nosso ninho, oh meu amor 


Acordei como quem ouve / Um amor que bate à porta
Fui abrir, lá fora chove / Não há ninguém, noite morta  


Acordei como quem chora / Por alguém que já morreu
Neste quarto aonde mora / Um fantasma, que sou eu