- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

"mp3 disponíveis"

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.295 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.135.500 VISITAS /*/ 31.05 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

" fadopoesia@gmail.com "

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa >

Acordo agora

Aldina Duarte / Júlio Proença *fado modesto*
Repertório de Joana Amendoeira

Olhos que prendem sobre o mar, uma lembrança
Almas que acendem todo o céu da nossa infãncia
Na claridade francamente embevecida
Veio a saudade dessa esperança desmedida

Acordo agora entre o sonho revelado
Nós os dois p’la vida fora a cumprir o nosso fado
Sinto contigo o amor que eu quero aprender
Num desejo tão antigo que sem ti posso esquecer

Larguei o medo, mais depressa o desespero
Do meu segredo a teimar que não te quero
Hoje caminho sem certeza ou ansiedade
Porque adivinho no amor, a eternidade