- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.555 LETRAS PUBLICADAS <> 2.630.000 VISITAS < > NOVEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Acordo agora

Aldina Duarte / Júlio Proença *fado modesto*
Repertório de Joana Amendoeira

Olhos que prendem sobre o mar, uma lembrança
Almas que acendem todo o céu da nossa infãncia
Na claridade francamente embevecida
Veio a saudade dessa esperança desmedida

Acordo agora entre o sonho revelado
Nós os dois p’la vida fora a cumprir o nosso fado
Sinto contigo o amor que eu quero aprender
Num desejo tão antigo que sem ti posso esquecer

Larguei o medo, mais depressa o desespero
Do meu segredo a teimar que não te quero
Hoje caminho sem certeza ou ansiedade
Porque adivinho no amor, a eternidade