- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Arrojos

Cesário Verde / Miguel Ramos *fado alberto*
Repertório de Joaquim Cardoso


Se a minha amada um longo olhar me desse
Dos seus olhor que ferem como espadas
Eu domaria o mar que se enfurece
E escalaria as nuvens rendilhadas

Se ela deixasse estático e suspenso
Tomar-lhe as mãos mimosas e aquecê-las
Eu com um sopro enorme, um sopro imenso
Apagaria o lume das estrelas

Se ela ouvisse meus cantos moribundos
E os lamentos das guitarras tão estranhas
Eu ergueria os vales mais profundos
E abateria as sólidas montanhas

Se ela quisesse amar no azul do espaço
Casando as suas penas com as minhas
Eu desfaria o sol, como desfaço
As bolas de sabão das criancinhas