- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.266.500 VISITAS <> SETEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

El-rei D.Sebastião

Isidoro de Oliveira / José Marques *fado natália*
Repertório de Manuel Cardoso de Menezes

El-rei D.Sebastião
Tombara no areal
O reino de mão em mão
Entre cobiça e traição
Deixou de ser Portugal

O povo desde esse dia / Suportou o cativeiro
Dizendo que El-rei vivia
E a salvá-lo voltaria / Em manhã de nevoeiro

Longos anos se passaram / Debaixo da estranha lei
Os portugueses penaram
Mas portugueses ficaram / Certos da volta de El-rei

Em manhã de nevoeiro / Junto do paço real
Sacudindo o cativeiro
Alguém gritou do terreiro / Viva El-rei de Portugal

Gritava Real Real / Por nosso rei D.João
Renascia Portugal
Tinha voltado afinal / El-rei D. Sebastião