- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.365 LETRAS <> 2.347.000 VISITAS <> NOVEMBRO 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Mulher guitarra

Mário Raínho / João de Vasconcelos
Repertório de Cidália Moreira

Vadia de muitas tascas
Amante de marinheiros
Nos ambientes mais rascas
Sempre encontrou companheiros

Ainda se deita no peito
De quem lhe oferece paixão
É velha e não ganha jeito
Pois anda de mão em mão

Quando à noite em saudade se desgarra
Esta guitarra, esta guitarra
É nos braços do amante que a quiser
Uma mulher, uma mulher
Se é pecado dar-se assim seja a quem for
É por amor, é por amor
É um misto de sereia e de cigarra
Esta guitarra, esta guitarra

A sua voz nos conquista
Com seu choro magoado
E nas mãos dum guitarrista
Nos leva de fado em fado

Com seu corpo de madeira
Dessa madeira que é santa
A guitarra, a noite inteira
Gemendo, soluça e canta