- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Guitarra carpideira

Manuel Andrade / Alfredo Duarte Marceneiro
Repertorio de Carlos Mendes Pereira

Ó guitarra carpideira
Doce e triste companheira
Voz dolente do meu fado
Cordas tensas a vibrar
Como é lindo o teu chorar
Nesse tom terno e magoado

És como as rosas de Outono
Folhas murchas e sem dono / Que o vento leva em carreira
Como o riso das crianças
Relicário de lembranças / Ó guitarra carpideira

E à noite, ruas desertas
Procuras portas abertas / Com teu sussurro amoroso
E é tal qual assim, guitarra
Quando a sorte se desgarra / Nesse fado desditoso
- - -
- -
-
Esta estrofe (3a do original) não foi gravada 

A um canto da taberna
À luz fosca da lanterna / Vais carpindo o teu penar
Esta voz rouca e cansada
É perdida e abafada / No confuso vozear
- - -
Informação de Francisco Mendes e Daniel Gouveia
Livro *Poetas Populares do Fado-Canção*
-