- - - - - - - - - -

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira

Canal de J.F.Castro em parceria com a Rádio Mira
° Caro visitante, existe 1 minuto de interregno entre a identificação dos intérpretes °
Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Existem (pelo menos) 80 letras publicadas que não constam do índice. Caso encontre alguma avise-me, por favor.

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

6.270 LETRAS PUBLICADAS /*/ 2.078.500 VISITAS /*/ MARÇO 2021

ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO.

Pois mesmo desagradando // A "Troianos" maldizentes / Os "Gregos" vão apoiando // E vão ficando contentes

-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Se não encontra a fado preferido // Envie, por favor, o seu pedido.

fadopoesia@gmail.com

- - - - - - - - - - - - - - - -

Pesquisa.

Esta cidade e o fado

Carlos Baleia / Daniel Gouveia
Repertório de Daniel Gouveia 

Gosto de ser deste povo
Fruto de uniões bizarras
Que parte e volta de novo
E ouve o choro de guitarras

Trinados de nostalgia
E voz que sabe sofrer
Dão à Bica e Mouraria
A sua forma de ser

Nasceu duma teia e sem dar por isso
Canto de sereia lançou-lhe feitiço
Sem quatro caminhos, nem rezas de encanto
Com muito carinho e algum quebranto;
De noite aparece envolto em magia
Logo que amanhece perde a fantasia
Não usa maldade, não tem mau-olhado
É voz da cidade e chama-se fado

Lisboa que não desiste
De sorrir ao seu passado
Põe um ar sombrio e triste
Quando o fado anda calado

Gosta de ser da cidade
Que sendo uma feiticeira
Logo que chega a saudade
Põe o xaile e é cantadeira