- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

É sempre fado

Frederico de Brito / José Marques *fado triplicado*
Repertório de Fernanda Maria

Disseram-me que este fado
Foi chamado triplicado
Pois tem três rimas seguidas
Sem rimar ficava mudo
E o telhudo rima tudo
Não está com meias medidas

Noutros tempos, quem diria
Que seria o Mouraria / O Dois Tons e o Menor
Quando já era Corrido
Atrevido, conhecido / Trinta léguas em redor

Mais
tarde foi o Ginguinhas
O Palhinhas, o Calcinhas / O Liró e o Choradinho
Chamaram-lhe Brasileiro
Marinheiro e Artilheiro / Magiola e Armandinho

Foi da Azenha, da Atalaia
Foi da Praia, da Gandaia / Nomes que lhe deran brado
Se uma alcunha sempre ajuda
Não se iluda que não muda / 
Nunca deixa de ser fado