- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.525 LETRAS PUBLICADAS <> 2.572.800 VISITAS < > SETEMBRO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Adormeceu a Mouraria

Letra de Lopes Vitor
Desconheço se esta letra foi gravada.
Transcrevo-a na esperança de obter informaçâo credivel

A chuva vai caindo na calçada
Calou-se uma guitarra que gemia
Apagou-se uma luz de madrugada
Adormeceu a velha Mouraria

O vento geme num triste assobio
Pela viela não se enxerga nada
Suavemente, num chorar macio
A chuva vai caindo na calçada

Numa garganta rouca, o fado chora
Como se fosse doce melodia
E na taberna que fechou agora
Calou-se uma guitarra que gemia

Um faia passa, num gingar piela
Uma mulher arrasta a cruz pesada
Num rés-do-chão fechou-se uma janela
Apagou-se uma luz de madrugada

Fechou-se agora o último postigo
Tudo é silêncio, nesta noite fria
À luz do gás dum candeeiro antigo
Adormeceu a velha Mouraria