- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO

Rádio apadrinhada pelo mestre RODRIGO
CANAL DE JOSÉ FERNANDES CASTRO EM PARCERIA COM A RÁDIO MIRA

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Loading ...

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* As letras publicadas referem a fonte de extração, ou seja: nem sempre são mencionados os legítimos criadores *

<> 6.360 LETRAS <> 2.245.800 VISITAS <> AGOSTO DE 2021 <>

* ATINGIDO ESTE VALOR /*/ QUE ME FAZ SENTIR HONRADO /*/ CONTINUO, COM AMOR /*/ A SER SERVIDOR DO FADO *

* POIS MESMO DESAGRADANDO /*/ A *TROIANOS* MALDIZENTES /*/ OS "GREGOS VÃO APOIANDO /*/ E VÃO FICANDO CONTENTES *

* NÃO ENCONTRA O FADO PREFERIDO? /*/ ENVIE, POR FAVOR, O SEU PEDIDO * fadopoesia@gmail.com

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

* NASCEU ASSIM... CRESCEU ASSIM... CHAMA-SE FADO // Vasco Graça Moura // Porto 03.01.1942 // Lisboa 27.04.2014 *

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Tango quase fado

Rosa Lobato Faria / Mário Moniz Pereira
Repertório de António Pinto Basto

Passaram meses, passaram anos
Lembro-me às vezes da mocidade
E se imagino que nos amamos
São mais enganos, é mais saudade;
Mas uma noite sobre a calçada
Prendes-me ao peito sem dizer nada

Não faças caso deste riso alucinado
Não faças caso destas lágrimas à toa
O coração é que não estava preparado
Para este encontro numa rua de Lisboa


Foi de repente, foi sem aviso
Na minha frente surgiste inteira
Foi um oásis de paraíso
Banhado em riso chorei primeiro;
E sem palavras ao rés do espanto
Fui tango e fado, sorriso e pranto

Não faças caso do meu tango quase fado
Não faças caso deste amor que me desgarra
Se o corpo lembra bandeneón apaixonado
As mãos suspiram em carícias de guitarra