- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
Canal de JOSÉ FERNANDES CASTRO em parceria com RÁDIO MIRA

RÁDIO apadrinhada pelo mestre *RODRIGO*

- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
AS LETRAS PUBLICADAS REFEREM A FONTE DE EXTRAÇÃO, OU SEJA: NEM SEMPRE SÃO MENCIONADOS OS LEGÍTIMOS CRIADORES
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
ATINGIDO ESTE VALOR // QUE ME FAZ SENTIR HONRADO // CONTINUO, COM AMOR // A SER SERVIDOR DO FADO
POIS MESMO DESAGRADANDO // A TROIANOS MALDIZENTES // OS GREGOS VÃO APOIANDO // E VÃO FICANDO CONTENTES
--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
6.515 LETRAS PUBLICADAS <> 2.552.800 VISITAS < > AGOSTO 2022
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Eu não sabia

Letra e música de João Dias Nobre
Repertório de Fernanda Batista

Eu não sabia o que era amor, pois julgava
Quando d’alguém se gostava
Tudo sorria na gente
Eu não sabia quando custa a felicidade
E como o amor, na verdade
É às vezes tão diferente

É um olhar, um palpitar
Dentro do peito
Um não sei quê em que se crê
Sonho desfeito
Uma promessa p’ra que se esqueça, logo depois
E o amor então
É esquecimento, é sofrimento, desilusão

Eu não sabia como é cruel o ciúme
E ao senti-lo como lume
Nós somos todos iguais
Eu não sabia quanta amargura contém
Ver que a ternura de alguém
Não é nossa nunca mais