- - - - -

- - - - -
Clique na imagem e oiça Fado
- - -
Ninguém ignora tudo, ninguém sabe tudo. Todos nós sabemos alguma coisa, todos nós ignoramos alguma coisa. Por isso aprendemos sempre
PAULO FREIRE *filósofo* 19.09.1921 / 02.05.1997
- - - - -
As 5.530 letras publicadas referem a fonte de extração, o que nem sempre quer dizer que os artistas mencionados sejam os seus criadores.
- - - - -
Use o motor de busca *barra de links* para pesquisa rápida e fácil.

O velho fado corrido

Mário Raínho / Popular *fado corrido*
Repertório de Filipa Cardoso

Quem a cantar me ensinou
O velho fado corrido
Foi a vida que passou
E apresentou-me esse amigo

Às vezes nas horas más / Se existe choro em meu canto
Sempre esse amigo é capaz  / De me enxugar esse pranto
E a guitarra, também / Que por mim tanto chorou
E assim me consolou / Pra afastar minha tristeza
Então fico com a certeza / Quem a cantar me ensinou

Se canto, para contar / Meu amor, minha paixão
Meu fado fica a pulsar / Corrido, no coração
É uma outra emoção / Um sentimento querido
Vestido com o tecido / Com que se veste a alegria
Parece que tem magia / O velho fado corrido

Passa a noite e a madrugada / Traz esse amigo, perfeito
Pra dormir na almofada / De penas, que tem meu peito
Ele sabe que tem direito / Há muito tempo o ganhou
Por isso abrigo lhe dou / Porque ele tanto me acalma
Quem o trouxe à minha alma / Foi a vida que passou

Assim de mãos enlaçadas / No meu xaile de cadilhos
Minhas quadras são rezadas / Num fado sem ter estribilhos
E em versos, com trocadilhos / Ergo o olhar e ao céu digo
Com as palavras que consigo / Num corrido, agradecida,
Ai, Fados que me deu a vida / E apresentou-me esse amigo